quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Alerta


Importa desde já sublinhar que o robalo em alguns locais da Europa encontra-se em vias de extinção. Com técnicas modernas e cada vez mais aperfeiçoadas temos assistindo ao longo dos anos por parte dos pescadores profissionais a um dizimar da espécie com consequências drásticas e irreversíveis para a biodiversidade dos recursos marinhos.
O seu valor gastronómico e monetário que atinge no mercado leva que a espécie seja bastante procurada.
Em Portugal as autoridades com responsabilidade e competência para intervir neste processo nada tem feito permanecendo alheias a tudo isto, ao contrário de outros países mais desenvolvidos, que tomaram medidas importantes para minimizar ou por em causa a extinção do robalo.
Em Inglaterra, criaram-se defesos e quotas com o intuito de proteger a espécie.
Em França foi fundada uma associação para salvaguardar a sobrevivência da espécie.
Em Portugal assistimos a telenovelas e a jogos de futebol na televisão.
É urgente tomar medidas.
Estima-se que este peixe possa atingir um metro de comprimento, ultrapassar os dez quilos e aproximar-se dos trinta anos de idade.
Dotado de uma silhueta bastante interessante, apresenta no lombo um cinzento prateado, e no ventre um branco brilhante.
O robalo encontra-se no Atlântico, desde a Noruega até ao Senegal. Também frequenta os mares Mediterrâneo e Negro. Em Portugal continental encontra-se ao longo de toda a costa.

2 comentários:

Nuno disse...

depende do nível de stocks...mas no canada o bacalhau outro predador que conheço bem devido ao trabalho e vários familiares e conhecidos que andaram na faina, mais exactamente na terranova, até de anzol foi proibido e quando digo anzol até de cana foi proibido!!
este ano passados muitos anos de proibição há quota para estrangeiros, a armada pirata aqui de aveiro já está a navegar para lá ,outros a negociar, enfim o mundo tá a ficar demasiado pequeno para tanta boca .... mas só para acabar eu sou um mero pescador de saldo aqui em aveiro e de vez em quando tem dado uns robalos por aqui.
Abraço

carlos crisostomo disse...

Camarada Nuno, concordo inteiramente consigo,principalmente quando diz que o mundo está a ficar pequeno para tanta boca.Há cerca de oito estive em Stº jhones Canadá com um antigo capitão dos barcos do bacalhau, natural de Aveiro.Tem obra publicada no museu da pesca em Aveiro.Lamentavelmente não me recordo do seu nome.